‘Shrinkflation’ atinge consumidores em todo o mundo

As empresas dizem que são forçadas a reduzir o tamanho de seus produtos devido ao aumento dos custos de commodities, energia e mão de obra

reduflação
Stephanon Muller@Mullerando

Os fabricantes globais vêm encolhendo discretamente seus produtos sem baixar os preços, informou a Associated Press na quarta-feira. A chamada “shrinkflation” ocorre quando as empresas repassam seus custos aos clientes, e a agência de notícias afirma que está acelerando em todo o mundo.

Nos Estados Unidos, uma pequena caixa de Kleenex agora tem 60 lenços, enquanto há alguns meses tinha 65. O tamanho dos iogurtes também diminuiu. Na Grã-Bretanha, a Nestlé reduziu suas latas de café Nescafé Azera Americano de 100 gramas para 90 gramas. Na Índia, um frasco de detergente Vim diminuiu de 155 gramas para 135 gramas.

“Vem em ondas. Acontece que estamos em um maremoto no momento por causa da inflação”, disse à AP o advogado do consumidor e ex-procurador-geral assistente em Massachusetts Edgar Dworsky. Ele documentou a contração em seu site Consumer World por décadas.

Dworsky começou a notar caixas menores no corredor de cereais no outono passado e diz que a contração aumentou desde então. Ele afirma que a prática atrai os fabricantes porque eles sabem que os clientes perceberão os aumentos de preços, mas não acompanharão os pesos líquidos ou pequenos detalhes, como o número de folhas em um rolo de papel higiênico.

Segundo ele, as empresas também empregam outros truques para desviar a atenção do downsizing, como marcar embalagens menores com novos rótulos brilhantes que atraem os olhos dos compradores.

Algumas empresas foram diretas sobre as mudanças, culpando um forte aumento no custo das matérias-primas. No Japão, a fabricante de salgadinhos Calbee anunciou reduções de peso de 10% – e aumentos de preço de 10% – para muitos de seus produtos em maio, incluindo batatas fritas vegetarianas e “Edamame” crocante.

A Domino’s Pizza disse em janeiro que estava reduzindo o tamanho de suas asas de frango de 10 peças para oito pelo mesmo preço de US$ 7,99. A empresa explicou o movimento com o aumento do custo do frango.

Não há dúvida de que muitas empresas estão lutando com a escassez de mão de obra e custos mais altos de matérias-primas, diz Hitendra Chaturvedi, professor de gerenciamento de cadeia de suprimentos da WP Carey School of Business da Arizona State University. Ele, no entanto, acrescentou, conforme citado pela AP: “Não estou dizendo que eles estão lucrando, mas cheira a isso. Estamos usando restrições de oferta como uma arma para ganhar mais dinheiro?”

De acordo com a S&P Global, a inflação mundial de preços ao consumidor subiu cerca de 7% em maio, um ritmo que provavelmente continuará até setembro.

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!