Um ‘mundo sem dinheiro’ e coisas de graça? Bilionário japonês vê nosso futuro do espaço

O magnata japonês Yusaku Maezawa e seu assistente Yozo Hirano se tornaram os primeiros turistas espaciais do Japão. Eles voaram para a Estação Espacial Internacional (ISS) junto com o cosmonauta Alexander Misurkin da Roscosmos, que é o primeiro correspondente especial da TASS em órbita. A nave espacial tripulada Soyuz MS-20 decolou em 8 de dezembro e retornou à Terra 12 dias depois.

cosmonauta
Yusaku Maezawa © Alexander Misurkin / TASS, ISS

Em sua entrevista com a TASS a bordo da ISS, Yusaku Maezawa falou sobre seu sonho adolescente de ir para o espaço que agora se tornou realidade. Além disso, ele revela seu segredo para o sucesso e sua visão revolucionária de um mundo “sem dinheiro”.

– Você está participando desta entrevista para a TASS, todos se não sabem, este é [Yusaku] Maezawa-san.

– Prazer em conhecê-la!

– Eu sou Alexander Misurkin, um cosmonauta de Roscosmos, Maezawa-san é um empresário, eu diria, japonês, mas digamos a palavra correta seria, da Terra.

– Sim, Sim!

– Principalmente porque agora estamos a bordo da ISS. Falando sobre esta estação. Quando esse desejo [sobre o vôo espacial] veio à sua mente?

– Há cerca de sete anos.

– Sete anos atrás, você decidiu ir para a ISS?

– A ISS, sim. Você conhece a empresa Space Adventures from America?

– Sim

– Eles nos convidaram para vir aqui … Eles me apresentaram para ir ao ISS. Eles podiam arranjar tudo para ir lá [para o espaço], então eles podiam ter acesso com a Roscosmos e a Energia [foguete e corporação espacial], e todas as empresas espaciais russas, eles tinham contato. Eles me disseram essas coisas.

– Mas em geral, o seu sonho era ir para o espaço ou só aconteceu porque o Space Adventures o convidou para essa viagem?

– Eu adoro cenas espaciais desde a infância desde que eu tinha sete ou oito anos, eu olhei para o cometa Halley no Japão naquela época e naquele momento nasceu o desejo de um dia eu ir para o espaço. Um sonho de adolescente.

– Então era o seu sonho de adolescente e de alguma forma se tornou realidade, o que você acha que aconteceu com você nesse longo caminho, foi apenas sorte?

– Meio por cento pode ser sorte

– Meio por cento?

– Sim, 0,5%.

– Pra poder ir pro espaço tem que fazer muita coisa né? E às vezes, uma vez que estávamos executando uma tarefa, você me corrigiu e disse “não 90%, 99,99% em sua vida depende de você mesmo.”

– Eu penso que sim.

– E nessa perspectiva, o que você deve ou não deve fazer se quiser chegar ao espaço?

– Não desista, continue se esforçando, e continue tendo o sonho. Quanto a mim, quero sempre fazer coisas únicas. Não quero pensar que outras pessoas já o fizeram. Amo fazer coisas únicas. Portanto, para os japoneses, especialmente os civis, esta é a primeira vez que vem aqui um civil japonês. Yozo e eu somos os primeiros civis japoneses a vir aqui. Então, para mim, isso é algo único.

– Definitivamente, não é para todos.

– Estou sempre fazendo coisas únicas desde [minha] juventude.

– Falando nisso, essa seria minha próxima pergunta. Pelo que eu sei, você lançou seu primeiro negócio aos 18 anos. Você poderia nos contar com mais detalhes, como aconteceu, como você decidiu lançá-lo?

– O ensino médio japonês é de 16 a 18 anos e eu larguei o ensino médio quando tinha 16 anos e comecei [em uma] banda de música como baterista dessa banda. E eu gostava muito de música naquela época. E não apenas tocando como baterista, mas também colecionando muitas coisas musicais de todo o mundo. Eu estava comprando muitas coisas, muitas coisas de todo o mundo. E alguns deles [eram] muito raros. Muitos japoneses não conseguiam encontrar esse tipo de música. No Japão, cada [um] dos meus amigos e cada [um] dos meus parceiros musicais estavam me pedindo para comprá-lo <…>, e eu poderia vender aquela música para o meu amigo, para eles. E foi meu primeiro negócio. Então, meu hobby estava crescendo como negócio.

– Então, eu acho que é uma coisa muito importante, o seu hobby estava crescendo e aí mudou para um negócio?

– Sim, sim.

– É muito importante, o que você acha?

– Para mim é muito importante. Porque as pessoas podem fazer isso muito bem quando estão fazendo o que querem. O que eles gostam de fazer. Então, um hobby deve ser mudado para negócios, eu acho.

– Eu concordo com você. E desse ponto de vista, para ter tanto sucesso … Você é na verdade um empresário de muito sucesso …

– Não, não não, nem tanto.

– É verdade, é verdade, e falando dessa ideia especial, qual seria a sua sugestão para as pessoas que querem ter sucesso também em algo para fazer aquelas coisas que amam fazer?

– Acho que sim.

– É exatamente isso que você gostaria de …?

– Por favor, não faça o que você não gosta de fazer.

– Então conversamos sobre o seu negócio, como ter sucesso, você já mencionou coisas muito importantes, mas vamos voltar a esse lugar, a órbita baixa a bordo da Estação Espacial Internacional, e você gosta disso?

– Agora estou sem gravidade. E podemos olhar para a Terra a partir … daqui. Podemos ver toda a Terra daqui. De Cúpula [nome do módulo ISS em que ele está]. É bom, mas tem muitas nuvens, infelizmente, mas ainda assim, lindas.

– Sua expectativa desse voo se concretizou ou você imaginou de alguma forma diferente?

– Muito maior do que eu poderia imaginar.

– Então, você gostou?

– Sim claro.

– Talvez haja algo que você goste mais ou talvez haja algo que você não goste aqui na estação?

– Tudo está melhor do que eu poderia imaginar antes. Eu poderia imaginar, mas apenas imaginei, então não é real. Chegando aqui minha primeira conversa com minha família foi assim: “Nossa. Tem uma estação! Uma estação de verdade!” Eu não posso acreditar nisso.

– Como você se sente na gravidade zero?

– Dia a dia estou me adaptando a isso, mas ainda é estranho para mim. Muito estranho.

– A viagem não é muito longa, vai sentir falta da estação depois disso?

– Eu não quero imaginar isso. Eu quero ficar aqui por muito tempo. Mais dias.

– Excelente. Se dermos um passo para trás em relação ao seu, se posso dizer, histórico, agora você é um participante do voo espacial – [um] astronauta civil – você entrou na atividade de astronautas civis por meio de seus negócios e, claro, você tem experiência em ganhar muito dinheiro. Acho que é uma questão muito profunda, pelo menos para mim, da sua perspectiva, o dinheiro ajuda as pessoas a serem felizes?

— Não

— Não?

– Acho que não.

– Por que?

– Dinheiro é apenas dinheiro. O dinheiro é apenas uma ferramenta para comprar algo e experimentar algo, mas o dinheiro não nos faz felizes.

– Talvez você possa explicar de outra forma porque é difícil de entender provavelmente para pessoas que não têm dinheiro suficiente.

– Para muito poucas pessoas – pessoas ricas – parece bom, mas para o resto, 99,9% das pessoas estão sofrendo por dinheiro e sempre precisam dele. Eles estão vivendo por dinheiro, infelizmente. Mas acho que as pessoas não deveriam viver para dinheiro.

– A primeira parte da pergunta é – imagine, qualquer pessoa imagina, “Oh, se eu tivesse muito dinheiro!” provavelmente pensam que com dinheiro não terão problemas ou questões que tenham agora e eles esperam que serão felizes, e você diz “Não, você não vai ser feliz com dinheiro”, é difícil para eles entender “por quê?”

– Muito difícil de explicar, mas o que posso dizer … Acho que tem muitos problemas com o capitalismo. O dinheiro faz mais dinheiro. É como um jogo de dinheiro. Mas [isso está sendo feito] por muito poucas pessoas, pessoas ricas. Mas o resto das pessoas não tem esse dinheiro e seu dinheiro está diminuindo a cada dia porque eles não podem investir em algo novo, então 99% do dinheiro das pessoas está diminuindo, mas apenas 1% do dinheiro que está em poder de poucas pessoas está aumentando, então a diferença entre eles está aumentando. Este é o sistema capitalista. Então, não é sustentável, eu acho, o capitalismo deveria ser mudado para algo novo, muito em breve, eu acho.

– Eu diria que concordo com você, mas quero me imaginar no lugar de uma pessoa que pode estar nos observando e como ela entende isso. Agora você está falando sobre o quadro geral de que o dinheiro não faz o mundo feliz; mas isso é da perspectiva de 1% de pessoa. Se ele pensa: “Tá, estou com uma dívida no banco, preciso pagar amanhã, preciso comprar, digamos, uma casa para meus pais, para minha família”, ele ainda está pensando em dinheiro e você diz “Não, isso não ajuda você, como  ele pode  entender você?

– Eu quero contar [sobre uma] história muito específica para esse tipo de pessoa. Algum dia, o dinheiro desaparecerá repentinamente deste mundo. Claro, minha conta bancária será zero. A conta bancária de todos será zero. E tudo nas lojas [será] de graça. Assim, todos podem levar tudo gratuitamente das lojas. Se você adora carros, pode pilotar uma Ferrari assim que quiser – de graça.

– E o que acontecerá se, digamos, um milhão de pessoas disserem – “Eu quero ter uma Ferrari hoje.”

– Sim, talvez todo mundo diga que muitas filas estarão na frente das lojas da Ferrari, mas as pessoas vão perceber isso. Definitivamente, adoraria dirigir uma Ferrari uma vez, mas não quero ficar com isso. Quero compartilhar essa Ferrari com outras pessoas que amam carros. Então, é assim que esse tipo de coisa irá acontecer. Eu acho que…

– Então, isso de alguma forma conecta essa ideia sobre o mundo sem dinheiro com voo ‘paz mundial’, você poderia nos explicar, está de alguma forma conectado com suas ideias sobre o futuro do mundo?

– Eu acho, e você acha que talvez o mundo deveria ser um lugar melhor e o dinheiro é um inimigo do povo, então o dinheiro deveria desaparecer também. E se o dinheiro desaparecer, talvez todo tipo de guerra também desapareça e todos os crimes [sejam] causados ​​pelo dinheiro. Portanto, o dinheiro desaparecerá deste mundo e todo [tipo de] crime também desaparecerá. 

– Ideia interessante.

– O dinheiro não nos fazem felizes. O dinheiro nos deixa infelizes. O dinheiro nos ajuda a lutar contra as pessoas.

– Então, sua ideia é que um mundo sem dinheiro será muito melhor?

– Muito melhor.

– O que deve substituir o dinheiro se as pessoas agora trabalham por dinheiro? Para o que eles trabalharão amanhã? Neste tipo de mundo?

– Eu imagino um mundo sem dinheiro, as pessoas trabalharão para as pessoas. Quase todas as pessoas estão trabalhando por dinheiro agora, infelizmente, mas em um mundo sem dinheiro, as pessoas trabalham para as pessoas.

– Esse sistema já está presente em suas empresas?

– Ainda não. Mas espero fazer isso. Mas o dinheiro deve desaparecer ao mesmo tempo em todo o mundo. Ao mesmo tempo.

– Se fosse outra pessoa, se a gente ficasse em outro lugar, eu diria com certeza – é impossível.

Maezawa: Todo mundo diz isso, sim! Mas podemos apenas imaginar.

– Sim claro. E se você disse quando era um adolescente “Eu quero voar para o espaço, quero construir vários negócios e me tornar muito conhecido no mundo e ser uma pessoa muito rica”, provavelmente essa trajetória não será muito esperado de outras pessoas , mas agora você está aqui, você é uma pessoa de muito sucesso, você alcançou essa altitude, essa velocidade espacial e provavelmente sua ideia vai se tornar realidade.

– Espero que sim.

– E o mundo vai se tornar outro mundo sem dinheiro, e pelo que eu entendi, você quer dizer que será um mundo para as pessoas, onde as pessoas serão mais felizes.

– Sim.

– Falando de si, você é, muito – diria – muito experiente, mas ainda assim jovem.

– Não tão jovem.

– Talvez seja uma coisa diferente em diferentes culturas. Quero dizer, quando dizemos na Rússia que você ‘ainda é jovem’, significa que ainda tem muito pela frente, muito tempo para alguma coisa. E meu interesse é saber, qual é o seu próximo passo depois deste lugar?

– Eu quero fazer filmes sobre o mundo sem dinheiro. Minha explicação não é boa então, as pessoas não conseguem entender o que eu imagino, então talvez eu precise de um filme para fazer entender essas coisas.

– E quando devemos esperar este filme?

– [Em] 2023 irei no voo para a Lua, irei para o espaço novamente, e talvez depois disso. [Em] 2025 ou 2026.

– Dois anos depois você vai voar para a Lua?

– Sim.

– E depois fazer esse filme sobre suas ideias de um mundo sem dinheiro? Nós iremos esperar.

– Certamente, o dinheiro desaparecerá do nosso mundo. Podemos imaginar isso.

– Vamos esperar seu voo para a Lua e esse filme também. Para ter uma ideia melhor.

– Muito obrigado!

– E provavelmente a última pergunta, desde a sua primeira atividade empresarial, você se tornou o fundador da sua própria empresa, e desde aquela época, todas as vezes que você era o chefe da sua empresa, você era o chefe sem nenhum outro patrão, agora voando para esta estação …

– Você é o chefe! Primeira vez! É a primeira vez que trabalho para alguém! Meu chefe.

– Como você se sente sobre isso?

– Estranho, mas muito confortável. Por sua causa. Super Comandante.

– Muito obrigado!

Entrevistado por Alexander Misurkin

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!