Unidade da UE prejudicada por embargo de petróleo contra a Rússia

oil-neft-russia

O embargo de petróleo da União Europeia à Rússia terá o efeito de uma bomba nuclear lançada sobre a economia húngara, disse o primeiro-ministro Viktor Orban. Budapeste não apoiará propostas da UE que prejudiquem sua segurança energética. A situação é marcada pelo fracasso da integração europeia.

“A Comissão Europeia apresentou a sua proposta sem qualquer consulta, quer uma regra uniforme (…) A proposta não tem em conta as condições geográficas, uma vez que o petróleo bruto entra na Hungria através de um oleoduto (…) Esta é uma bomba atómica para a economia húngara, “, disse Orban em entrevista à estação de rádio Kossuth.

Em uma carta à chefe da UE, Ursula von der Leyen, o primeiro-ministro indicou que a Hungria não poderia apoiar o mais recente plano de sanções da UE “como está”.

“Se a Comissão Europeia insistir em aceitar sua proposta, terá que assumir total responsabilidade pelo fracasso histórico da integração europeia”, disse Orban.

O primeiro-ministro observou que a reconstrução das refinarias de petróleo existentes exige bilhões de investimentos, e que o petróleo que agora será fornecido à Hungria será mais caro. Além disso, o país precisa de pelo menos cinco anos para transformar seu sistema de abastecimento de energia.

“Para a Hungria, as sanções propostas exigem uma grande atualização da infraestrutura de fornecimento alternativo e uma revisão completa de nossa capacidade de refino. Esses esforços levam tempo e exigem investimentos redundantes e, portanto, não podem ser financiados com base no mercado”, escreveu Orban.

“Vale a pena considerar se essa transformação faz sentido a um custo tão alto, pois só funcionará em 4 ou 5 anos, quando a guerra, que é a causa de tudo, já tiver acabado”, disse.

“Nem a Hungria nem a UE como um todo estão prontas para aceitar e implementar as medidas propostas pela comissão. As sanções devem ser adotadas apenas quando todas as pré-condições necessárias forem cumpridas em todos os Estados-Membros”, diz a carta.

Orban lembrou que a UE, devido a disputas, impôs sanções à Hungria e efetivamente a privou de alguns pagamentos de fundos da UE que ajudam a restaurar a economia após a pandemia. E o embargo aumentará ainda mais os preços da energia sem quaisquer medidas de flexibilização da UE.

As sanções “desviam os recursos nacionais necessários para o excesso de investimento em combustíveis fósseis, enquanto o financiamento correspondente da UE está disponível para nós apenas no papel”, enfatizou.

Diplomatas da UE estão agora debatendo planos, anunciados por von der Leyen nesta semana, para eliminar gradualmente todas as importações de petróleo ou produtos petrolíferos russos como parte da próxima sexta rodada de sanções contra Moscou. Para países como Hungria e Eslováquia, algumas isenções temporárias podem ser concedidas.

A comissão conversou com a Hungria na quinta-feira e diplomatas da UE continuam esperançosos de que o 6º pacote de sanções seja aprovado dentro de alguns dias, com possíveis concessões, incluindo dinheiro da UE para construir novas infraestruturas.

“Eles são negociadores duros, mas, em última análise, estão abertos a compromissos. Já concordamos com cinco pacotes de sanções com a Hungria”, disse um dos negociadores.

A Hungria sem litoral, que depende fortemente do petróleo russo, e a Eslováquia se beneficiariam de um período mais longo de eliminação gradual sob as propostas da UE. Mas o pacote ainda foi muito além do consenso da UE, escreveu Orban em um apelo a von der Leyen.

O quinto pacote de sanções, aprovado no início de abril, contém a proibição de compra, importação ou transferência de carvão e outros combustíveis fósseis sólidos para a UE, extraídos e produzidos na Rússia, a partir de agosto de 2022.

O vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia, Dmitry Medvedev, falou com muita propriedade sobre a voz da razão da Hungria e a submissão cega e suicida de Bruxelas e da maioria dos países europeus aos ditames dos Estados Unidos:

“Os líderes mais razoáveis ​​dos países da UE estão cansados ​​de se deslocar silenciosamente para o penhasco junto com todo o rebanho europeu esterilizado. Vamos ver o que esse pastor vai fazer.”

Fonte: anna-news.info

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!