Alternativa SWIFT da China pode minar sanções dos EUA

O Sistema de Pagamentos Internacionais Transfronteiriços da China pode dar à Rússia uma tábua de salvação e acelerar a desdolarização

yuan
A moeda da China está se tornando um porto seguro. Mas há mais trabalho a fazer. Foto: Facebook

As novas sanções de Washington contra a Rússia não foram páreo para a retórica do presidente Biden, deixando de fora a medida mais óbvia que os Estados Unidos podem tomar para prejudicar Moscou, ou seja, a exclusão do sistema de pagamentos internacionais SWIFT.

Os bancos realizam praticamente todas as transações em moeda forte via SWIFT, ou a Sociedade para Telecomunicações Financeiras Interbancárias Mundiais. Mas uma nova alternativa chinesa pode permitir que a Rússia conduza a maior parte de seu comércio em yuan, em vez de dólares.

O Sistema de Pagamentos Internacionais Transfronteiriços da China (CIPS), fundado em 2015, ainda está em desenvolvimento e inclui apenas 80 bancos estrangeiros. Mas não há razão, em princípio, para que o CIPS não possa substituir o SWIFT. E se a Rússia transferir com sucesso seus pagamentos comerciais para fora do sistema do dólar, o golpe no prestígio e poder americanos seria enorme.

petróleo
Os EUA ainda importam grandes quantidades de petróleo russo.

A desdolarização do comércio está em debate na Europa Ocidental. A revista Manager da Alemanha escreveu em 14 de fevereiro: “A exclusão do sistema internacional de pagamentos SWIFT é considerada a espada mais afiada que o Ocidente poderia empunhar como uma sanção econômica contra a Rússia.

“No entanto, é uma faca de dois gumes: as consequências econômicas não seriam graves apenas na Rússia, mas também na Europa Ocidental. Além disso, a dissociação da Rússia e da China do dólar americano seria acelerada. Ambos os países já estão trabalhando em sistemas de pagamento concorrentes.”

A Rússia também desenvolveu um sistema de mensagens interbancárias, que agora cobre cerca de 20% dos pagamentos financeiros domésticos.

O yuan chinês tem vantagens e desvantagens como substituto do dólar. Ele ganhou cerca de 8% em relação ao dólar americano desde que a recessão do Covid começou no início de 2020.

A taxa de inflação ao consumidor da China está em torno de 1% ano a ano contra 7,5% nos EUA, e o yuan até certo ponto atuou como uma proteção contra a inflação do dólar.

Fonte: Asia Times

Compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!