Japão a Terra do Sol da Nascente – Ilha de Itsukushima

Hoje vou relatar uma viagem que fiz por três dias no final do ano 2016, para Itsukushima (Miyajima) e Hiroshima. No caso de Hiroshima, seria a segunda visita, a primeira foi em 1998 quando morava no Japão. A primeira visita foi um pouco frustante, pois fiz uma viagem de bate e volta de carro com amigos, e justamente naquele dia o museu de Hiroshima estava fechado porque era um feriado!

Pois bem, primeiro para ir de Osaka à Hiroshima, como primeira opção, eu pretendia ir de Shinkansen (trem rápido japonês), porém como no final do ano muita gente viaja, os bilhetes esgotam rapidamente e por isso são comprados com muita antecedência, então eu comecei pesquisar outras opções.

Após pesquisar alguns sites eu descobri o site da Willer, uma empresa de ônibus que faz várias rotas em horário noturno. Para mim era perfeito, pois poderia viajar à noite e aproveitar o dia inteiro. Outra vantagem é o preço, o bilhete de ida e volta de Shinkansen custa em torno de 20.000 yenes (U$178 aprox.) por pessoa, enquanto que de ônibus o bilhete ida e volta meu e de minha esposa custou 23.000 yenes.

Para comprar as passagens pela Willer é simples, o site é bastante amigável e há a opção de inglês, ao final do processo será disponibilizado o boleto para o pagamento em uma loja de conveniência. Só um detalhe, caso haja desistência não haverá reembolso, e as poltronas serão indicadas no momento de embarque, caso se estiver em duas pessoas sem problemas, o casal ficarão juntos.

Obs.: Eu procurar indicar a melhor forma de chegar, acomodações sem nenhum interesse financeiro, ou seja, não recebo nada indicando essa ou aquela empresa ou hotel, faço isso porque acredito que o conhecimento compartilhado é o melhor meio para facilitar a vida das pessoas.

O local que optamos para pegar ônibus em Osaka foi no Willer bus terminal Osaka Umeda (Umeda sky building tower east 1F) porém para esta linha de ônibus tinha opção de pegar na estação de trem de Tennoji. O terminal em Umeda é amplo tem máquinas automáticas de bebida e acesso ao Wi-fi enquanto espera o horário para embarcar.

Como Umeda é lugar muito bonito aproveitamos para caminhar pelos arredores.

Ônibus partiu pontualmente às 23:40 hs.

Terminal da Willer em Umeda

O ônibus durante o trajeto tem algumas paradas para fazer um lanche rápido ou para ir ao banheiro, chegamos na Estação de Hiroshima às 05:30.

Estação de trem de Hiroshima

Como nosso planejamento era ir direto para ilha de Itsukushima, nós fomos até a estação de trem a procura de um armário para guardar uma pequena mala com roupas e ficamos apenas com bolsa com a câmera fotográfica, o preço de um locker médio custa 300 yenes – só não pode perder a chave do armário!  Então após guardarmos nossa mala, seguimos para pegar o trem até a cidade de Miyajimaguchi, são ao todo 9 paradas com o tempo de viagem de 30 minutos e o bilhete custou 410 yenes.

Da estação de Miyajima-guchi até o porto são aproximadamente 10 minutos de caminhada, é só seguir o fluxo de turismo, também há placas indicativas bilíngue.

Existe duas companhias de ferry boat que fazem o transporte até a ilha, o tempo de travessia é em torno de 10 minutos e preço do bilhete ida e volta é de 360 yenes.

Porto de Miyajima-guchi

Itsukushima

A ilha de Itsukushima, também conhecida por  Miyajima fica na Baía de Hiroshima, no Mar de Seto (mar interior). Seu nome original Itsuko-shima significa “onde deus reside”. A ilha tem vários templos xintoístas e budistas estrategicamente construídos entre a calma da baía e a paz da montanha. Também possui uma paisagem de grande harmonia entre as belezas naturais e a arquitetura religiosa, e é considerada como um dos três lugares mais bonitos do Japão juntamente com a Baía de Matsushima e a praia de Amanohashidate.

Um dos locais de grande veneração na ilha é o famoso Santuário de Itsukushima, que é considerado Património Mundial pela UNESCO e pelo Monte Misen, que é o ponto mais elevado da região com 530 metros.

Alguns momentos após o ínicio da travessia é possível distinguir O Grande Torii de Itsukushima que é o cartão postal da ilha conhecido em todo o mundo! Ele está posicionado estrategicamente na entrada ilha, como se estivesse dando as boas vindas aos visitantes.

O Grande Torii de Itsukushima
Porto de embarque e desembarque da ilha

Durante a travessia foi possível ver a grande quantidade de barcos que transportavam os turistas.

A ilha é muito movimentada o ano todo com turistas de toda a parte do mundo.

Por ser de barco o único modo de chegar na ilha, isso já garante um isolamento que trás muita tranquilidade e paz aos visitantes. Semelhante à Nara, ao pisar na ilha você é recepcionado por cervos bastante dóceis que circulam livremente por ali. Eles chegam pertinho das pessoas em busca de alimento é muito difícil resistir aos seus olhinhos de pedinte. Eles são considerados mensageiros da paz. Por todo esse clima místico é possível entender porque a ilha é venerada em todo o Japão e porque é chamada de “a ilha onde os deuses residem”.

O primeiro dia do ano para os japoneses, é o dia em que as pessoas vão aos templos em busca da sorte, paz e saúde para o ano todo.

O Grande Torii dependendo do horário pode ser atravessado a pé, porém no horário que chegamos a maré já estava subindo.

Templo xintoísta Itsuku-shima Jinja, devido às marés o templo foi erguido sobre palafitas e ao fundo o pagode Gojunoto de cinco andares.

O Itsukushima Shrine Treasure Hall (Salão do Tesouro do Santuário de Itsukushima) é um museu. O hall de tesouro contém mais de 4500 itens preciosos que foram dedicados ao Santuário de Itsukushima pela família Heike e outras pessoas influentes, e uma parte desses tesouros estão disponíveis para a visualização pública.

Pelo caminho que leva ao monte Misen passamos por vários templos. O Templo Daishoin estava lotado havia até uma fogueira para os visitantes aquecerem.

Mais adiante encontramos umas pequenas estatuetas enfileiradas, e todas elas vestidas com capuz, são os Discípulos de Shaka Nyorai. São 500 estátuas espalhadas pelo jardim.

Este portal é entrada para o caminho que leva até o monte Misen, é claro que nós não perdemos a oportunidade de subir o monte porém todos detalhes eu colocarei na próxima publicação.

Abaixo uma gravação, ótimo para quem quer sentir um pouco do clima místico do lugar.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um + onze =