Reabertura dos EUA: Previsão sinistra para números de mortes por Covid-19

Manifestantes protestam contra a quarentena em frente à sede do Legislativo do Kentucky, na cidade de Frankfort. Reprodução

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças estão projetando que, em 1º de junho, os EUA terá um aumento diário de novos casos de coronavírus de cerca de 25.000 para 200.000, e um aumento nas mortes diárias de 1.750 para cerca de 3.000, de acordo com um documento interno obtido pelo New York Times.

O relatório divulgado quando o governo federal e os estados de forma individual vêm trabalhando para reabrir partes da economia após sete semanas de distanciamento social.

O modelo foi criado pelo professor da Johns Hopkins, Justin Lessler, que afirmou que há uma gama de possibilidades, de acordo com o WashPost .

“Há cenários de reabertura em que isso pode sair do controle muito rapidamente”.

O ex-comissário da FDA Scott Gottlieb alertou na CBS no domingo que a mitigação não funcionou “tão bem quanto esperávamos” e que os EUA poderiam ver uma “propagação persistente” do vírus durante o verão.

Enquanto isso, no domingo, o presidente Trump disse que o número de mortes por coronavírus pode chegar a 100.000 – revisando sua projeção inicial para cima depois de prever no mês passado que poderia ser baixo quanto 50.000.

Documentos internos do governo obtidos pelo New York Times.
Documentos internos do governo obtidos pelo New York Times.

As projeções no relatório enfatizam o temor de que diretrizes relaxantes de distanciamento social possam colocar os EUA de volta onde estavam em meados de março, quando a onda de novos casos ameaçou sobrecarregar o sistema de saúde em algumas áreas.

  • Atualmente, os EUA sofrem cerca de 1.750 mortes e cerca de 25.000 novos casos confirmados por dia, com pouco declínio durante o mês de abril, apesar das práticas de mitigação.
  • “Ainda existe um grande número de municípios cujo casos continua a crescer”, alerta o relatório.
  • Algumas áreas urbanas como Nova York e Detroit tiveram melhorias, mas a modelagem sugere que outras cidades como Los Angeles e Chicago sofrerão um aumento nos casos.

O porta-voz da Casa Branca Judd Deere fez a seguinte declaração:

“Este não é um documento da Casa Branca, nem foi apresentado à Força-Tarefa de Coronavírus ou submetido a exames interinstitucionais. Esses dados não refletem nenhuma modelagem feita pela força-tarefa ou dados que a força-tarefa analisou. As diretrizes do presidente para abrir novamente os Estados Unidos são uma abordagem científica com a qual os principais especialistas em saúde e doenças infecciosas do governo federal concordaram. A saúde do povo americano continua sendo a principal prioridade do presidente Trump e isso continuará à medida que monitorarmos os esforços dos estados para aliviar as restrições. ”

Fonte: Axios/Tradução OPP

 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − 13 =