Revelado: Pentágono havia alertado sobre pandemia de coronavírus anos atrás

O Pentágono havia avisado a administração dos EUA anos atrás, sobre a ameaça do coronavírus e a subsequente escassez de equipamentos médicos, revelam relatórios

A revista norte-americana The Nation publicou um relatório sobre um plano do Departamento de Defesa dos Estados Unidos (Pentágono) realizado em 2017, nesta quarta-feira, intitulado “USNORTHCOM Branch Plan 3560: Influenza Pandêmica e Resposta a Doenças Infecciosas”, onde se referia ao coronavírus em várias ocasiões, dizendo que “as infecções por coronavírus são comuns em todo o mundo”.

O plano também alertou para a falta de equipamentos médicos após a propagação do vírus. ” Competição e escassez de recursos serão incluídas “, afirmou.

Nesse sentido, o documento afirmou que a escassez de contramedidas médicas não farmacêuticas, por exemplo, ventiladores, dispositivos, equipamentos de proteção individual, como máscaras e luvas, terá um impacto significativo na disponibilidade da força de trabalho global.

Além disso, nesse contexto, Denis Kaufman, ex-chefe da Divisão de Doenças e Contramedidas da Agência de Inteligência de Defesa, observou que o Exército dos EUA conhece o coronavírus há anos. “A Comunidade de Inteligência alerta sobre a ameaça de vírus influenza altamente patogênicos há pelo menos duas décadas. Eles alertam sobre o coronavírus há pelo menos cinco anos “, disse ele.

Kaufman, durante uma entrevista, também rejeitou declarações recentes com base no fato de que o novo coronavírus, chamado COVID-19, representa uma falha de inteligência. Na sua opinião, a pandemia surgiu por “ignorar os avisos”.

A resposta dos EUA ao novo coronavírus é um fiasco ”

O COVID-19, até o momento afetou 215 344 pessoas e deixou 5110 mortos no país norte-americano; e nesses momentos de crise, os governadores dos estaduais alertaram que a Reserva Nacional Estratégica do país, usada em tempos de crise, já está vazia de equipamentos médicos .

Por outro lado, falar sobre equipamentos médicos insuficientes nos Estados Unidos para combater o COVID-19 já está proibido, por isso vários hospitais ameaçaram demitir sua equipe médica se fizessem declarações sobre esse assunto. .

A Casa Branca reconheceu na terça-feira a grave situação causada pelo coronavírus nos Estados Unidos e estimou que até 240.000 pessoas poderiam morrer no país por causa dessa pandemia, algo que, segundo analistas, se deve à má gestão do surto pelo presidente dos EUA, Donald Trump, que prefere seus negócios à saúde do povo americano.

Fonte: HispanTV

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + dois =