Trump nega participação dos EUA em ataques de mercenários na Venezuela

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, negou nesta terça-feira qualquer envolvimento do governo dos EUA na fracassada incursão armada na Venezuela que resultou na captura de dois mercenários norte-americanos

Reprodução

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, negou nesta terça-feira qualquer envolvimento do governo dos EUA na fracassada incursão armada na Venezuela que resultou na captura de dois mercenários norte-americanos

Trump fez o comentário a repórteres na Casa Branca depois que o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, disse na segunda-feira que autoridades detiveram dois cidadãos norte-americanos trabalhando com um veterano militar dos EUA que assumiu a responsabilidade por uma operação armada que fracassou.

Vamos descobrir. Acabamos de ouvir sobre isso – disse Trump quando questionado sobre o incidente e as detenções dos norte-americanos. “Mas isso não tem nada a ver com o nosso governo.”

Em tom semelhante, o chefe do Pentágono, Mark Esper, garantiu aos repórteres que o governo dos EUA nada teve a ver com o que aconteceu na Venezuela.

Operação Gideón

Maduro afirmou que as autoridades prenderam na segunda-feira “terroristas” envolvidos no que ele descreveu como uma trama coordenada com Washington para entrar no país através da Colômbia e expulsá-lo do poder.

Oito pessoas foram mortas durante a frustrada Operação Gideón neste domingo, segundo autoridades venezuelanas.

Maduro exibiu passaportes dos EUA e outros cartões de identificação pertencentes a Airan Berry e Luke Denman, que, segundo ele, estavam sob custódia e tinham trabalhado com Jordan Goudreau, um ex-boina verde norte-americano que lidera uma empresa de segurança da Flórida chamada Silvercorp USA.

O Departamento de Estado dos EUA não fez nenhum comentário sobre as supostas prisões. Autoridades norte-americanas, falando sob condição de anonimato, negaram veementemente qualquer envolvimento do governo dos EUA.

O governo Trump realiza uma campanha de sanções econômicas e pressão diplomática contra a Venezuela na tentativa para derrubar Maduro, um socialista a quem acusa de ter fraudado eleições em 2018. O governo de Maduro diz que os Estados Unidos querem controlar as enormes reservas de petróleo da Venezuela.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito − três =